Buscar

RGB lança edição impressa do Código de Boas Práticas de governança


Foto: Livro Código de Boas Práticas em Governança Pública


A Rede Governança Brasil (RGB), com apoio de Instituto Latino-Americano de Governança e Compliance Público (IGCP), lançou recentemente, pela editora Mente Aberta, a 1° edição impressa do Código de Boas Práticas em Governança Pública. Com cerca de 144 páginas, o material foi produzido pelo Comitê de Governança na Prática da RGB e contribui no direcionamento dos caminhos para o desenvolvimento dos mecanismos de liderança, estratégia e controle em todos os níveis federativos.


O livro é apresentado pelo embaixador da RGB e ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), Augusto Nardes, que convida o leitor a descobrir e se aventurar nas boas práticas de governança. “Este código inova não somente por ser um instrumento que reúne práticas reconhecidas em âmbito governamental, mas por servir como espaço para compartilhamento contínuo e permanente entre as diversas organizações e esferas nacionais”, comenta na apresentação.

Com 500 exemplares disponíveis, a obra traz 130 práticas com linguagem simples, direta e ampla possibilidade de aplicação, pois pode ser utilizado por qualquer instituição pública, que pode adaptar o conhecimento obtido ao seu contexto e porte organizacional.


“A RGB espera alcançar o maior número de estudiosos na área de governança pública por meio da distribuição do Código. Levantar as boas práticas em governança pública em um ambiente tão jovem foi nosso maior desafio. O filho ainda não está maduro para ter experiências assertivas, pois é um adolescente, essa é a realidade da governança pública, precisamos crescer e amadurecer muito ainda”, afirma a vice-presidente do Conselho de Administração da RGB, Cristiane Nardes. E acrescenta: “O Código vem para apoiar esse processo de aceleração do aprendizado através do compartilhamento de Boas Práticas”.


Para Welles Matias, membro do Comitê de Governança na Prática, o Código de Boas Práticas em Governança Pública da RGB preenche uma lacuna importante de disseminação de conhecimento sobre esse tema. “Para se ter ideia, o Código, além de compilar importantes definições a respeito da governança pública, consolida boas práticas em liderança, controle e estratégia recomendadas para se atingir maturidade no setor público. Dessa forma, gestores de todas as esferas de governo poderão utilizar o livro para adquirir conhecimento e consultar exemplos de práticas para buscar resultados melhores de governança”, observa.

De acordo com a coordenadora do comitê, Flávia Canêdo, o livro contribui de maneira relevante para o debate da governança. “Busca introduzir conceitos ainda pouco abordados nos referenciais para a governança pública, como liderança e cultura humanizada, ESG, transformação digital, dentre outros”, diz.


“A importância do livro para o mercado de governança como um todo é que ele tende a influenciar, provocando transformações em todo o mercado. Poderemos ver mudanças, inclusive de governança coorporativa, influenciando também o terceiro setor e toda a estrutura. Hoje, funcionamos em rede. Ao longo dos próximos meses devemos perceber um movimento de transformação cultural e socioeconômica em nível de governança”, analisa Luana Lourenço, outra coordenadora do comitê.


Versão impressa


Mesmo com a transformação digital nos últimos anos, muitos leitores ainda optam por versões impressas. Welles explica que o livro vai trazer um maior alcance para o público. “O lançamento do código tanto em versão impressa como virtual permite que a disseminação do conhecimento produzido sobre as boas práticas de governança seja mais eficaz, uma vez que há distintas preferências de leitura, qual seja por meio de computadores ou em uma leitura tradicional. Se por um lado a versão digital permite ganhos de economicidade e a maior capilaridade em sua distribuição sem limitação de unidades (qualquer um pode simplesmente fazer o download diretamente no sítio eletrônico da RGB), a versão impressa, por sua vez, possibilita a interação direta do material com o leitor, não dependendo de um equipamento eletrônico para a sua leitura ou marcação, sem contar que a impressão de tais exemplares fora na modalidade de cofunding (onde voluntários da própria RGB arrecadaram recursos para a viabilização das impressões)”, relata.


Lourenço concorda com o colega de comitê sobre a amplitude da divulgação do material, além de produzir uma consulta mais prática e direta. “A gente prefere, tende a ter como livro de cabeceira, um contato direto para consulta imediata. Isso é interessante inclusive para as salas de aulas. Os alunos também gostam de fazer esse manuseio. As pessoas ainda não viraram totalmente a chave para o mundo digital, e isso ajuda na divulgação do Código na percepção inclusive das boas práticas”, retrata.


Já Canêdo fala que o livro vai proporcionar as discussões em grupos de pessoas que se familiarizem com o tema. “A edição física do Código busca não somente facilitar ao usuário deste documento sua utilização e anotações, mas também disponibilizar às pessoas um meio de divulgação à sua rede, em encontros, reuniões, seminários e outros eventos de disseminação de conhecimento”, ilustra.


Expectativa

Além de destacar o conteúdo com meio de disseminação de ideias, Lourenço comentou sobre a expetativa no mercado. “Temos a expectativa que a edição impressa expanda ainda mais a divulgação do Código de Boas Práticas em Governança Pública, para que este se consolide como um instrumento e repositório de referência para coleta e disseminação de boas práticas no setor público”, explica.


“Esperamos disseminar a governança humanizada, capaz de extrair o melhor das pessoas, das lideranças e transformar o Brasil. Trazendo mais bem-estar, boas práticas de governança e também de forma sustentável. Visto que o Código traz por sua própria abordagem, já que ele é autossustentável, retroalimentado e consegue se alimentar permanentemente de boas práticas. Colocamos um QR Code e lá mesmo todas as pessoas da sociedade conseguem contribuir trazendo novas boas práticas”, finaliza Luana Lourenço.


A versão impressa do Código de Boas Práticas em Governança Pública da RGB estará disponível brevemente para vendas e em órgãos de controle como Controladoria Geral da União (CGU), Tribunal de Contas da União (TCU) e Escola Nacional de Administração Pública (ENAP).


A versão digital do material está disponível AQUI.




Assessoria de imprensa da RGB

Cintia Lima (61) 98279-6538