top of page
Buscar

Especialista em inovação conta quais são as últimas novidades relacionadas às cidades inteligentes


O primeiro RGB Entrevista desta nova edição será com o Walter Marinho, profissional com mais de 17 anos de experiência na área de Inovação, Business, Governança e Políticas Públicas, no desenvolvimento estratégico e negociações entre a União Europeia (UE), a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) e a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL). Ele é membro da Organização de Cidades Inteligentes do Brasil e Europa; coordenador do Comitê de Inovação, Tecnologia e Governança da RGB e é CIO (Executive Innovation Office) do Instituto General Villas Bôas. Walter Marinho também tem um forte conhecimento em governança, gestão e planejamento estratégico de inovação, negociação e indústria X.0, liderança e definição de negócios aplicada aos conceitos da Nova Revolução Industrial; é gestor de Inovação em Smart Cities, entre outras. Dito isto, vamos ao nosso bate-papo:


RGB - Qual é o conceito de Smart Cities e como elas funcionam?

WM - As Smart Cities (cidades inteligentes) são cidades que utilizam tecnologia e dados para melhorar a qualidade de vida dos seus habitantes e otimizar o uso dos seus recursos, tornando-se mais eficientes e sustentáveis, tendo como epicentro o cidadão.


O conceito de Smart Cities envolve a utilização de tecnologias da informação e comunicação (TICs) para conectar diferentes sistemas e serviços urbanos, desde a gestão pública até aos transportes, saúde, iluminação pública, coleta de lixo, segurança pública, entre outros. Dessa forma, é possível coletar dados em tempo real sobre o funcionamento desses sistemas, analisá-los e tomar decisões mais inteligentes e eficazes sobre a gestão da cidade e o bem-estar do cidadão.


As Smart Cities também têm como objetivo envolver os cidadãos na gestão da cidade, permitindo que eles participem mais ativamente na tomada de decisões e contribuam para a melhoria da qualidade de vida urbana. Por exemplo, por meio de aplicativos móveis, os cidadãos podem relatar problemas na cidade, como buracos na rua ou lâmpadas queimadas, permitindo uma rápida solução desses problemas.


Alguns exemplos de tecnologias utilizadas em Smart Cities incluem sensores de monitoramento de tráfego, câmeras de vigilância com reconhecimento facial, iluminação pública inteligente, telessaúde, sistemas de transporte público integrados e aplicativos de mobilidade urbana.


Em resumo, as Smart Cities buscam criar um ambiente urbano mais inteligente e conectado, utilizando tecnologias avançadas para melhorar a qualidade de vida dos cidadãos e otimizar a utilização dos recursos da cidade.


RGB - Quais são as características de uma Smart City?

WM - As Smart Cities (cidades inteligentes) têm algumas características principais e comuns a todas elas, que é ter o cidadão como o epicentro, mas que incluam:


Tecnologia avançada: as Smart Cities utilizam tecnologia avançada, como Internet das Coisas (IoT), inteligência artificial (IA), Big Data e cloud computing, para conectar diferentes sistemas e serviços urbanos, permitindo a coleta e análise de dados em tempo real para tomada de decisão.


Sustentabilidade: as Smart Cities são projetadas para serem sustentáveis, utilizando tecnologias e práticas que ajudam a reduzir o consumo de energia, água e outros recursos naturais, além de minimizar a produção de resíduos e emissões de gases do efeito estufa.


Participação cidadã: as Smart Cities incentivam a participação dos cidadãos na gestão da cidade, por meio de canais de comunicação e colaboração, como aplicativos móveis, fóruns online e reuniões públicas.


Mobilidade inteligente: as Smart Cities promovem uma mobilidade inteligente e integrada, com sistemas de transporte público eficientes, opções de mobilidade sustentável (como bicicletas e patinetes elétricos) e soluções de mobilidade compartilhada (como carros compartilhados e serviços de carona).


Qualidade de vida: as Smart Cities são projetadas para melhorar a qualidade de vida dos cidadãos, oferecendo serviços públicos de alta qualidade, espaços públicos bem projetados e seguros, acesso a áreas verdes e culturais, além de uma infraestrutura urbana moderna e eficiente.


Inovação: as Smart Cities são locais de inovação, onde são testadas e implementadas novas tecnologias e práticas urbanas, para criar um ambiente propício para o desenvolvimento econômico, sustentável, que também busque a geração de empregos.


Essas são algumas das características de uma Smart City, mas é importante ressaltar que cada cidade é única e pode ter diferentes prioridades e necessidades, sendo o cidadão a prioridade para toda e qualquer cidade, que devem ser considerada na implementação de soluções inteligentes.


RGB - Quais são as últimas novidades sobre Smart Cities?

WM - Existem diversas novidades e tendências recentes em Smart Cities, entre elas:


Cidades com Zero Carbono é desde já uma prioridade: um número crescente de cidades ao redor do mundo está comprometido em alcançar a neutralidade de carbono, ou seja, reduzir suas emissões de gases do efeito estufa a zero. Para isso, estão investindo em energia renovável, transporte sustentável e outras soluções inovadoras.


Cidades inteligentes adaptáveis: as cidades inteligentes estão evoluindo para se tornarem mais adaptáveis e resilientes a eventos imprevisíveis, como pandemias, desastres naturais e mudanças climáticas. Para isso, estão sendo desenvolvidas soluções de IoT e IA que permitem uma resposta rápida e eficiente a essas situações.


Tecnologia 5G: a tecnologia 5G já está sendo implementada em diversas cidades ao redor do mundo e do Brasil; ela permite uma conectividade mais rápida e eficiente entre dispositivos IoT, abrindo caminho para diversas novas soluções de saúde, mobilidade, segurança pública, entre outros.


Cidades autônomas: as cidades autônomas são aquelas que utilizam veículos autônomos para transporte público, entregas e outras atividades. Esses veículos são guiados por sistemas de IA e sensores, permitindo uma maior eficiência e segurança em ruas e estradas. A autonomia também abrange os serviços públicos nas mais diversas áreas da administração.


Cidades circulares dos quatros R (Reduzir, Reutilizar, Reciclar e Repensar): as cidades circulares são aquelas que buscam maximizar o uso de recursos, reduzindo o desperdício e a produção de resíduos. Para isso, estão sendo desenvolvidas soluções inovadoras de economia circular, como a reciclagem de materiais e a reutilização de produtos.


Estas são apenas algumas das novidades e tendências em Smart Cities, lembrando que a evolução das cidades inteligentes é constante e que novas tecnologias e soluções surgem todos os dias.


RGB - Gostaria que o senhor escolhesse um assunto que envolve INOVAÇÃO e falasse mais.

WM - Inovação é o processo criativo de algo novo e original ou incremental, escaláveis de tal forma, que possa gerar valor para as pessoas e a sociedade como um todo. A inovação pode estar relacionada à criação de novos produtos, serviços, processos, tecnologias, modelos de negócios, entre outros.


Vou citar alguns exemplos de inovação, em diferentes áreas, para ficar mais claro sua utilidade e escala:


Tecnologia: os telemóveis são um exemplo de inovação tecnológica que revolucionou a forma como as pessoas se comunicam e acessam informações. Outro exemplo são as tecnologias de inteligência artificial, que estão sendo aplicada em diversas áreas, como saúde, educação, justiça, finanças, entre outros, para a melhoria na eficiência e a qualidade dos serviços.


Saúde: a telemedicina é um exemplo de inovação na área da saúde, permitindo que os pacientes possam receber atendimento médico remoto, por meio de tecnologias como vídeo conferência e chat online, sem contar vários exames que através de inteligência artificial é possível detectar doenças não vistas pelos olhos humanos.


Educação: a plataforma Khan Academy é um exemplo de inovação na educação, oferecendo uma variedade de recursos online, gratuitos, para estudantes de todo o mundo, incluindo aulas em vídeo, exercícios práticos e ferramentas de aprendizagem personalizadas.


Sustentabilidade: o carro a etanol, como também o elétrico, é um exemplo de inovação sustentável, oferecendo uma alternativa mais limpa e eficiente aos veículos movidos a combustão. Outro exemplo é a tecnologia de impressão 3D, que está sendo usada para criar produtos a partir de materiais reciclados para reduzir a produção de resíduos.


Varejo: a Amazon Go é um exemplo de inovação no varejo, oferecendo uma experiência de compra sem caixas ou filas, utilizando tecnologias como sensores e inteligência artificial para rastrear os produtos escolhidos pelos clientes.


Esses são apenas alguns de milhares de exemplos de Inovações em diferentes áreas, mas existem muitos outros casos práticos de inovação em todo o mundo, mostrando como a criatividade e a tecnologia podem ser usadas para melhorar a vida das pessoas e o funcionamento da sociedade como um todo.


RGB - A velocidade com a qual a Inteligência Artificial está evoluindo é surpreendente, gerando desafios e reflexões urgentes. Quais são elas, no seu ponto de vista? Quais são os prós e os contras sobre esta evolução?

WM - De fato, a evolução da inteligência artificial tem sido surpreendente, o que tem gerado desafios e reflexões urgentes em diversas áreas. Vou citar alguns prós e contras dessa evolução:


Prós:


A IA tem potencial para melhorar a eficiência e a precisão em diversas áreas, como saúde, educação, finanças, transporte, gestão, entre outras.


A IA pode auxiliar no combate a corrupção, fraudes, criminalidade, bem como na ação das agências reguladoras.


A IA pode ajudar a resolver problemas complexos e melhorar a tomada de decisão em diversas áreas, incluindo a segurança pública e na gestão de recursos naturais.


A IA pode ser usada para desenvolver novas tecnologias e soluções inovadoras, que podem melhorar a vida das pessoas e o funcionamento da sociedade como um todo.


Contras:


A IA pode levar à perda de empregos, uma vez que algumas tarefas podem ser automatizadas, o que pode afetar negativamente a economia e a sociedade como um todo, se houver medidas para preparar estas pessoas aos novos empregos.


A IA pode ser usada para fins mal-intencionados, como disseminação de desinformação, vigilância em massa com ditaduras ditais e ciberataques, o que pode ameaçar a privacidade e a segurança das pessoas.


A IA pode perpetuar vieses e preconceitos se não for usada de forma ética e responsável, o que pode levar à discriminação e à exclusão social.


A Regulação de IA, sem o devido aprofundamento sobre seus impactos, podem levar a prejuízos irreparáveis aos cidadãos.


Diante desses prós e contras, é fundamental que a evolução da IA seja acompanhada de uma reflexão ética e moral responsável, que leve em conta as implicações sociais, econômicas e culturais de seu uso. Isso inclui a adoção de práticas de governança, gestão da inovação, privacidade e segurança, além de um debate público amplo e democrático sobre os limites e as possibilidades da IA.


RGB - A Inteligência Artificial pode realmente trazer riscos para o mercado de trabalho?

WM - Sim, a inteligência artificial pode trazer riscos para o mercado de trabalho, uma vez que algumas tarefas, que antes eram realizadas por seres humanos, serão automatizadas. Com a automação, alguns empregos podem se tornar obsoletos, o que pode levar à perda de empregos e afetar negativamente a economia e a sociedade como um todo.


No entanto, é importante destacar que a IA também vai criar novas oportunidades de emprego e melhorar a eficiência e a produtividade em diversas áreas. Por exemplo, a IA pode ser usada para auxiliar no diagnóstico de doenças, na previsão de desastres naturais, no desenvolvimento de novos produtos e serviços, entre outras atividades que já disse anteriormente.


Para minimizar os riscos da IA no mercado de trabalho, é fundamental que sejam criadas políticas e iniciativas que promovam a qualificação e o desenvolvimento de habilidades dos trabalhadores. Além disso, é importante que haja uma cooperação entre as empresas, os governos e a sociedade civil para que sejam criadas soluções inovadoras que permitam a utilização da IA de forma ética e responsável, levando em conta as implicações sociais e econômicas de seu uso.


RGB - Como as Smart Cities, Inovações e a Inteligência artificial podem auxiliar os governos?

WM - As Smart Cities, Inovações e Inteligência Artificial podem auxiliar os governos de diversas formas, promovendo uma melhor gestão dos recursos e áreas da administração pública, com serviços de maior qualidade aos cidadãos. Vou citar algumas das principais formas como essas tecnologias podem ser utilizadas pelos governos:


Gestão de recursos: As Smart Cities podem utilizar sensores e dispositivos conectados para monitorar e gerenciar os recursos, como energia elétrica, água e transporte público, de forma mais eficiente. A análise de dados gerados por esses dispositivos pode ajudar os governos a tomarem decisões mais assertivas e a alocar os recursos de forma mais estratégica e ágil.


Melhoria dos serviços públicos: A utilização da Inteligência Artificial pode ajudar os governos a oferecer serviços públicos de maior qualidade, como atendimento médico, transporte público, segurança e educação. A IA pode ser utilizada para otimizar os processos, reduzir os custos e melhorar a experiência do usuário.


Planejamento urbano: As Smart Cities podem utilizar tecnologias como Realidade Virtual e Realidade Aumentada para planejar e visualizar o desenvolvimento urbano antes mesmo da sua construção. Isso pode ajudar os governos a tomarem decisões mais acertadas e a criar ambientes urbanos mais eficientes e sustentáveis.


Tomada de decisões baseada em dados: A utilização da Inteligência Artificial pode ajudar os governos a tomarem decisões mais precisas e embasadas em dados. A análise de dados gerados pelos dispositivos conectados nas Smart Cities pode ajudar os governos a identificar padrões e tendências e a tomar decisões mais assertivas.


Participação da comunidade: As tecnologias de Smart Cities e Inovação podem permitir uma maior participação popular nas decisões governamentais. As plataformas digitais e redes sociais podem ser utilizadas para engajar a comunidade e coletar feedbacks sobre os serviços públicos, o que pode ajudar os governos a melhorar sua eficácia e eficiência.


Em resumo, as Smart Cities, Inovações e Inteligência Artificial podem trazer inúmeros benefícios para os governos, permitindo uma gestão mais eficiente dos recursos públicos e oferecendo serviços de maior qualidade à população. No entanto, é fundamental que essas tecnologias sejam utilizadas de forma ética e responsável, levando em conta as implicações sociais e econômicas de seu uso.

留言


bottom of page