Buscar

Em reunião no México com Olacefs, embaixador da RGB destaca auditoria mundial


Foto: Encontro com Olacefs



O embaixador da Rede Governança Brasil (RGB) e ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), Augusto Nardes, participou de uma reunião do conselho diretivo da Assembleia Geral da Organização Latino-Americana e Caribenha de Instituições Superiores de Auditoria (Olacefs), realizada na cidade de Oaxaca, no México, que aconteceu entre os dias 20 e 24 de setembro.


Durante o encontro, o ministro apresentou a ideia de uma auditoria mundial de Climate Scanner (avaliação de mudança do clima) com foco no desenvolvimento sustentável, prevista para novembro deste ano, no Rio de Janeiro. O ministro do TCU, Bruno Dantas, assumirá a presidência da Organização Internacional de Entidades Fiscalizadoras Superiores (Intosai).


“Nós convidamos todos os países da América para participar do encontro mundial da Intosai que vai acontecer em novembro. Eu propus também um grupo de trabalho para fazer uma auditoria sobre infraestrutura em toda América Latina. Além disso, ficou acertado que o grupo-tarefa da governança vai começar a trabalhar para implantação da tese em todo continente”, revelou.


Um dos objetivos da auditoria mundial é viabilizar a entrega de indicadores de governança para desenvolvimento sustentável no Brasil, o que ajudará na implementação e na gestão das áreas protegidas dos países participantes, assim como seus avanços no cumprimento de metas internacionais.


“Quero que o Brasil se transforme em um líder no desenvolvimento sustentável, já somos uma potência no agro. Porém, necessitamos mostrar para o mundo que temos uma política de respeito ao meio ambiente. Isso é difícil em alguns segmentos da agricultura atrasada, porém necessário é fundamental para o futuro do planeta”, enfatizou o embaixador da RGB.


Além do ministro Augusto Nardes, o encontro também contou com a participação da coordenadora do Comitê de Desenvolvimento Sustentável e presidente do Conselho Fiscal da RGB, Renata Andrade.

Auditoria mundial


Os dados apresentados, por COMTEMA e Olacefs, entre 2019 e 2020, revelaram que 13 dos 17 países participantes possuíam pelo menos 17% de suas áreas terrestres e de águas continentais incluídas em seus sistemas de áreas protegidas.

Com relação às áreas marinhas e costeiras, foram obtidos dados de 14 países, 8 dos quais possuem mais de 10% de suas áreas marinhas e costeiras protegidas. Isso representa um avanço significativo em relação a 2014.



Foto: Apresentação




Assessoria de imprensa da RGB