Buscar

Em parceria com CME, RGB celebra Dia Mundial da Diversidade Cultural em Brasília


Foto: Evento do Dia da Diversidade Cultural


Proclamada em resolução pela Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) em 2002, após a aprovação da Declaração Universal da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), o Dia Mundial da Diversidade Cultural tem o papel importante para o desenvolvimento da sociedade. Por iniciativa do Comitê de Governança para o Desenvolvimento Social Humano da Rede Governança Brasil (RGB) e Conselho da Mulher Empresária (CME-ACDF), celebrou a data na Casa de Chá na última quinta-feira (19), em Brasília.


O encontro contou com a participação de membros da Rede, CME, autoridades e alunos de escolas de Goiás, que puderam acompanhar o debate em torno da temática da diversidade cultural e governança.


A coordenadora do Comitê de Governança para o Desenvolvimento Social Humano da RGB, Karolyne Utomi, disse que o propósito da data é chamar atenção para a pluralidade de culturas. “Quando falamos de cultura, estamos falando da junção, da pluralidade, do respeito de povos, da gastronomia, de crenças e de tradições. Dentro do Brasil, por conta da construção histórica, temos uma pluralidade muito rica de povos e tradições. Só que muitas vezes essas culturas acabam sofrendo um apagamento para que o cidadão se encaixe dentro de uma padronização”, retratou.


“Para vivermos com essa diversidade, pluralidade e até personalidades distintas, a comunicação é a base. Porque senão sempre viveremos em um conflito de interesses. Qual interesse que predomina? Qual é o certo ou errado? Se não temos a união de povos e pessoas distintas não temos um equilíbrio e respeito, se não temos essa conversa e comunicação... Porque sem esse diálogo ao invés de termos uma cultura somando à outra, teremos uma cultura querendo prevalecer sobre a outra”, elucidou Utomi.


Já a coordenadora do Comitê de Governança para o Desenvolvimento Social Humano da RGB, Ivonice Campos, comentou que a pluralidade cultural é a maior riqueza da nação brasileira. “Consideramos que toda experiência de vida dos nossos antepassados, ancestrais… é o melhor legado que nós temos trazido para essa nação de paz, globalizada e versátil de todas que é o Brasil”, disse.


“Porque comemorar a data na Praça dos Três Poderes? Porque aqui é símbolo de cidadania, democracia, transparência, liberdade e conhecimento”, acrescentou Dra. Ivonice.


Em relação ao aspecto da governança, Karolyne Utomi disse que a diversidade cultural deve ser considerada como o tema mais amplo possível, devido a diferença de áreas, culturas, pessoas. “ A governança é plural, considerar a diversidade é essencial para o sucesso dela”, ressaltou.


Palestras


A coordenadora do Comitê de Capacitação da Rede, Cristiane Nardes, apresentou aos convidados sua trajetória profissional e os projetos da RGB. “Temos feito um trabalho nessa luta para levarmos as boas práticas de governança e consigamos ter um Estado melhor, uma política melhor entregando mais valor público a sociedade”, disse.


“A educação é uma das bases essenciais para a governança, para que a gente consiga inclusão e a diversidade. E claro, capilarizar os preceitos de cultura da sociedade”, completou a diretora institucional da Rede, Elise Brites.


O evento contou também com palestras da coordenadora-Geral de Cultura e Educação na Secretaria de Economia Criativa e Diversidade Cultural/Ministério do Turismo, Gizele Dupim; do presidente da Comissão de Igualdade Racial da OABDF, Beethoven Andrade; e do diretor de Políticas para Modalidades Especializadas de Educação e Tradições Culturais Brasileiras do Ministério da Educação, Fabricio Storani de Oliveira.



Foto: Palestras


Assessoria de imprensa da RGB