Buscar

Edição do “Mulheres da Governança” traz Ana Paula Arbache

Atualizado: 30 de set.


Foto: Mulheres da Governança


A Rede Governança Brasil (RGB), com apoio do Instituto Latino-Americano de Governança e Compliance Público (IGCP), apresentou nesta quarta-feira (08.06) mais um episódio do ''Mulheres da Governança''. Mediado pela coordenadora do Comitê de Governança para o Desenvolvimento Social Humano da RGB, Karolyne Utomi, o encontro recebeu a sócia e CEO da Arbache Innovations e membro do Comitê de Governança em Educação da RGB, Ana Paula Arbache, que conversou sobre sua trajetória e projetos.


Arbache agradeceu a participação na série da RGB e iniciou o bate-papo descrevendo suas características para ajudar na comunicação acessível a pessoas com deficiência visual nas redes sociais. Karolyne Utomi também usou a mesma linguagem de interação.


Arbache continuou a conversa falando da sua trajetória e do sonho de infância de ser professora. “ Eu sempre tive esse propósito de ensinar muito forte e aos 17 anos fui fazer o magistério, que naquela época era o segundo grau, e me profissionalizei para ser professora de criança. A partir daí eu comecei a ser uma aluna trabalhadora, eu precisava trabalhar… se eu quisesse continuar meus estudos”, lembrou.


Na adolescência Arbache já dava aula para alunos de uma comunidade de agricultores em Juiz de Fora (MG). “Eu dava aula para neto e avós naquela época…era uma sala multisseriada, onde tinha que ensinar adultos a ler e escrever, e ao mesmo tempo tirar a 4 º série. Foi o trabalho mais humano e maravilhoso… eu me emociono até hoje”, relatou.


O tempo passou, e, aos 25 anos, Ana Paula já era professora de turmas de licenciatura e engenharia, na Universidade de São José Del Rei. “Imagine eu, com 25 anos, chegando numa sala com um monte de engenheiros. Usei aquele truque da maquiagem, salto alto e roupa formal para poder encarar meus alunos”, lembrou.


Do setor público, Arbache migrou para o setor privado. Ela, o marido e alguns sócios montaram a primeira editora virtual do Brasil. “ É um projeto pioneiro dos anos 2.000, na chegada da internet, que foi incubado na primeira incubadora de inovação do Brasil, da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC- Rio). Foi um projeto sem precedentes de disruptura do mercado editorial brasileiro”, ressaltou.


Importância da governança para o desenvolvimento do país


Após dialogar sobre a trajetória de Arbache, a coordenadora do Comitê de Governança para o Desenvolvimento Social Humano da RGB questionou a importância da governança no desenvolvimento do Brasil.


“Eu acredito que governança é você ter o alinhamento entre a missão do seu negócio e sua entrega, e no meio desse alinhamento, agir em conformidade. E para isso, você vai trazendo uma série de mecanismos, instrumentos, ferramentas, composições de pessoas que vão te ajudando a fazer com que esse alinhamento seja cada vez mais efetivo e transparente”, ressaltou Arbache.


Hub Mulher

Durante o bate-papo, também foi mencionado o projeto Hub Mulher, coletivo de mulheres focado em carreira feminina, atuando por meio do compartilhamento de conhecimento, mentoria e networking. “Acabamos de lançar agora com a FGV o glossário da longevidade para as mulheres de 50+. Ano passado lançamos o Game Aya que é de educação antirracista com 15 stakeholders. Trabalhamos muito na conexão”, comentou.


O encontro foi transmitido pelo canal do YouTube da RGB.



Assessoria de imprensa da RGB