Buscar

Com membros da RGB, Fórum Nacional de Controle destaca os desafios da educação no país


Foto: Ministro Augusto Nardes no Fórum



“Se o Brasil não mudar a educação, nós não teremos condições de transformar a nação. Os nossos melhores alunos não conseguem superar os piores do Vietnã. O que fazer para mudar isso? Essa é a grande questão”, enfatizou o embaixador da Rede Governança Brasil (RGB) e ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), Augusto Nardes, durante a 5ª edição do Fórum Nacional de Controle, realizada nos dias 4 e 5 de novembro, no Instituto Serzedello Corrêa (ISC), em Brasília.


Autoridades políticas, acadêmicos e representantes de organizações privadas participaram do encontro híbrido (presencial e online), que teve transmissão feita pelo canal do TCU no YouTube.


O encontro teve como objetivo trazer os desafios que a pandemia impõe nas políticas educacionais e a inspiração para segmentar os novos caminhos no pós-pandemia, integrando, assim, as instituições de controle, órgãos de todas as esferas governo e sociedade civil na busca de soluções inovadoras, e na disseminação de boas práticas para administração pública.


O embaixador da RGB, responsável pela coordenação do Fórum, abriu o ciclo de palestras com a exposição “Evolução pós-pandemia: Desafios e Oportunidades”, trazendo dados educacionais do Brasil. “A educação brasileira é o retrato de que nós temos que mudar e, talvez, esse seja o grande momento de mudança. Nós não podemos continuar com um sistema educacional arcaico, atrasado de 50, 60, 100 anos atrás. Temos que mudar para plataformas modernas”, apontou o ministro.


Nardes também abordou a falta de conhecimento técnico suficiente por boa parte dos professores. “A questão da inovação é um dos pontos centrais, sem inovação nós não vamos ter condições de caminhar para um futuro da nação e melhorar a competitividade”, afirmou.


Além de apresentar índices e pontos cruciais da educação, o ministrou também comentou sobre o Projeto de Lei (PL) nº 9.163/17, a evolução da RGB, saúde, infraestrutura e tecnologia 5G, que está em processo de leilão pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). “A internet 5G que está chegando é fundamental. O Brasil tinha que investir 5% do PIB nessa área, nós investimos em torno de 1%, é muito pouco recurso para a área de inovação”, analisou Nardes.


Centros de Controle


O segundo dia do Fórum contou com dois painéis, entre eles “A importância do Centro de Governo na educação”, que foi mediado pelo o membro do Comitê de Riscos e de Anticorrupção e Compliance da RGB, Rodrigo Fontenelle, que é Controlador Geral do Estado de Minas Gerais, com participação do Secretário Especial de Relações Governamentais da Casa Civil da Presidência da República, Bruno Grossi, da consultora da área de educação da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), Mariza Abreu, da auditora interna do ICMBio e membro do Comitê de Riscos da RGB, Patrícia Alvares, e o coordenador do Comitê de Agropecuária da RGB, Daniel Catelli, atual secretário executivo adjunto do Ministério do Meio Ambiente.


Durante a ocasião, Catelli comentou sobre a importância da estruturação de um centro de governo e lembrou que o ministro Augusto Nardes foi um dos primeiros a trazer o tema para o debate no país. “O centro de governo é uma estrutura que serve para assessorar diretamente o chefe do Poder Executivo para tomar as melhores decisões. Decisões baseadas em evidências. Essa é uma das grandes funções do centro de governo”, explicou.


E arrematou: “O Brasil precisa correr atrás e implementar esses conceitos na área federal e depois estadual e municipal, porque há possibilidade, sim, da gente implementar centro de governos nos municípios”.



Assessoria de imprensa da RGB